Nacional

Moro diz que deu ‘passo para trás’ na candidatura à Presidência e que decidirá ‘adiante’ se disputa eleição

Moro diz que deu ‘passo para trás’ na candidatura à Presidência e que decidirá ‘adiante’ se disputa eleição

Ex-juiz trocou de partido no fim de março e anunciou que abria mão de candidatura presidencial. Ele defendeu respeito à escolha de Luciano Bivar como nome da União Brasil.

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça, Sergio Moro. — Foto: EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

O ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro (União Brasil) afirmou nesta segunda-feira (25) que fez um “gesto em prol da união” quando deu um “passo para trás” e anunciou que desistia da pré-candidatura à Presidência da República.

De acordo com ele, o movimento foi uma busca pela construção de consenso com os demais partidos que visam lançar um nome único ao Planalto representando a chamada “terceira via”.

Moro disse ainda que decidirá mais “adiante” se disputará as eleições deste ano e afirmou que respeita a escolha do deputado Luciano Bivar como pré-candidato do União Brasil à Presidência.

“Todos estavam sendo cobrados para fazer um gesto em prol de uma união, e eu fiz esse gesto. Na verdade, o grande problema de a gente ter essa unificação é porque ninguém se colocava numa posição de ‘tá, eu vou aceitar construir e não preciso ter o protagonismo aqui necessário’. Eu fiz isso, eu dei o passo para trás, mas com o objetivo de a gente conseguir construir algo forte para vencer a polarização”, afirmou Moro em entrevista ao portal UOL e ao jornal “Folha de São Paulo”.

No final de março, o ex-juiz e ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, que chegou a ser lançado pelo Podemos como pré-candidato à Presidência, trocou o partido pela União Brasil.

A cúpula do União Brasil, no entanto, exigiu que ele desistisse da pré-candidatura e lançou o deputado Luciano Bivar.

Atualmente, MDB, PSDB, União Brasil e Cidadania estudam uma aglutinação em torno de um único candidato à Presidência, mas ainda não há um acordo. Estava prevista para esta noite um jantar com os representantes dos partidos para discutir o tema, mas o encontro acabou cancelado.

“Preferi fazer essa opção para tentar construir dentro do União uma alternativa que pode ser meu nome, pode ser algum outro nome, pode ser alguém fora do partido, já que existe essa discussão, para a gente conseguir avançar. O objetivo principal é vencer essa polarização”, afirmou.

Ele afirmou ainda que ninguém chega em um partido dizendo que é “o rei da cocada preta” e que a candidatura deve ser construída.

“O partido escolheu o Luciano Bivar e essa decisão tem que ser respeitada”, ressaltou.

Questionado sobre o cargo a que disputará em outubro, Moro disse que atualmente está contribuindo para a “formação do centro democrático” e que só vai analisar “ali adiante” se vai participar das eleições. Ele ressaltou, porém, que pode ser que não seja “candidato a nada”.

Recentemente, o ex-juiz transferiu o domicílio eleitoral para São Paulo. Políticos do União Brasil afirmam que Moro poderia ser candidato à Câmara dos Deputados pelo estado – possibilidade que ele nega.

“Eu já declarei que não vou ser candidato a deputado federal. Mas o foco é ajudar o país a construir uma candidatura de centro para que a gente possa romper essa polarização”, disse.

Sobre a possibilidade de uma candidatura ao Senado, Moro disse que o tema “vai ser definido nos próximos meses”.

VÍDEOS: notícias de política

Newsletter G1 Created with Sketch.

O que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.

Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.

Obrigado!

Você acaba de se inscrever na newsletter Resumo do dia.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!

Leave a Comment